A CHAT WITH... Diana Bouça-Nova

Foi no programa da Sic Radical, Curto Circuito, que o nome Diana Bouça Nova saiu do anonimato. Hoje, passados quatro anos, Diana continua a dar cartas no mundo que a viu crescer: a comunicação! Mas nem tudo se disse sobre as paixões desta apresentadora de Vila do Conde, uma delas a moda. Diana conta-nos tudo, numa conversa descontraída e informal onde a apresentadora revela como tudo começou, como tem sido o período pós-Curto Circuito e ainda o que podemos esperar para tempos futuros. 

1)Quando e como nasceu o gosto pela comunicação?
Desde miúda. Sempre adorei comunicar com as pessoas, ouvi-las! Simulava emissões de rádio, sempre adorei escrever e lembro-me muito bem do aparecimento da televisão. Comunicar é a minha génese!

2)Começou na rádio e depois seguiu-se a televisão. Qual das áreas a surpreendeu mais? Porquê?
As duas surpreenderam-me. São muito distintas. Na rádio há uma importância enorme com aquilo que se diz e a forma como é dito. Eu estive na melhor escola possível para fazer jornalismo em rádio, na TSF. Na televisão, particularmente no entretenimento, e em direto, é bom esse imediatismo. O contato com as pessoas é muito importante, pois aprende-se imenso. E o grupo SIC é maravilhoso porque dá a oportunidade de saber mais em diversas linguagens. Trabalhar para a Sic Radical não tem nada a ver com trabalhar para a Sic Mulher, a Sic K, ou a Sic Notícias. E essa abrangência é ótima. Torna-nos melhores profissionais.

3) O que ficou da participação da Diana no ‘Curto Circuito’?
Ficou a experiência única, os amigos, o trabalho e os momentos. Não sou saudosista. Julgo que o melhor foi mesmo o conhecimento e o "know how" que me preparou para fazer qualquer coisa em televisão!

4)A exposição televisiva obrigou-a a ter ainda mais cuidado com a imagem? De que forma?
Nem por isso. Sempre fui uma pessoa preocupada q.b. com a minha imagem. Claro que não posso aparecer de qualquer forma mas não vivo dependente disso. Para o CC tínhamos que ter um estilo mais jovem, mais desportivo. Para a Sic Mulher tenho que ter um estilo mais casual e cuidado. Tudo depende. No meu dia-a-dia gosto, acima de tudo, de me sentir confortável. Gosto de me arranjar, pôr um vestido e uns saltos, mas pontualmente. Simples e prática é o meu lema!

5) Quanto a moda, a Diana é adepta de sapatos rasos, ou não perde uma oportunidade para usar saltos altos?
Adoro os dois. Para a calçada portuguesa e no corre-corre, rasos é a melhor opção. Mas também adoro saltos! Torna qualquer mulher mais confiante!

6) Na coleção de inverno, quais os sapatos de que mais gosta?
Adoro as botas Western ankle buckle! Sou uma grande fã de botas, tanto no inverno como no verão!

7) Sapatos são peças que constam na sua lista de ‘shopping guilt’?
Completamente. Difícil é não constar na lista de alguma mulher!

8) Quanto a projetos futuros, o que podemos esperar?
Estou a desenvolver dois projetos para a SIC, um a convite da Sofia para a Sic Mulher e outro proposto por nós. Em breve teremos notícias. Entretanto continuo a colaborar com a SIC em reportagens comerciais! Trabalho também como jornalista freelancer!

9)Qual é o sonho da Diana em termos profissionais?
Tenho vários. Na televisão, um programa do género ‘Noite da Má Língua’ era o ideal! Desde que esteja a comunicar e que o projeto seja bom, eu sei que o vou fazer da melhor forma! :) Gostava de trabalhar com moda, uma grande paixão minha. Sou muito empreendedora e já ando a pensar em imensa coisa para o futuro. Wait and see! ;)

10) O que ainda gostava de fazer que não fez?
Tanta coisa… há sempre muito a aprender e a fazer. Ainda agora comecei! ;)